Berlim Anticolonial

Face ao avanço da direita e à intensificação dos seus ataques terroristas, como migrantes, consideramos que é mais necessário do que nunca nos organizarmos na luta antifascista e anticolonial.

O Bloque Latino-americano promove a aliança e o trabalho conjunto de diferentes coletivos e comunidades migrantes e diaspóricas em Berlim, com o objetivo de se unirem em solidariedade, de se conhecerem, de se apoiarem mutuamente e de darem mais força à construção de esforços internacionalistas. O nosso horizonte é construir um movimento que, por meio da sua presença nas ruas, da organização e do fortalecimento das suas comunidades, exponha a violência que resulta das opressões, diferenciações e desigualdades do passado colonial: a destruição da natureza; os genocídios cometidos contra populações indígenas e afrodescendentes; o assassinato e a perseguição de dirigentes políticos; a repressão estatal de migrantes e refugiados; e a fortificação das fronteiras e o avanço do racismo e das guerras são consequências de um sistema de destruição que foi imposto por meio da violência. Estes fenômenos são o resultado de séculos de um sistema de opressão que incluiu processos de racialização dos povos muçulmanos, judeus e ciganos em território europeu, bem como a colonização de territórios e povos do Sul Global. Esta ideologia também tem permeado as nossas sociedades de origem. Dessa forma, é necessário que nós, enquanto coletivos com diferentes posicionamentos, tomemos consciência do racismo também no seio dos povos colonizados e das comunidades migrantes e diaspóricas.

O nosso objetivo é questionar as estruturas atuais e propor alternativas justas e solidárias. Em 2019, mais de 15 organizações uniram forças para organizar pela primeira vez um Mês Anticolonial em Berlim, que ocorreu entre 3 de outubro e 15 de novembro, contando com 25 eventos durante três dias de fórum, onde participaram mais de 300 pessoas, e com uma marcha com milhares de pessoas nas ruas. Com base nesta experiência, continuamos a colaborar de formas diferentes e a nos apoiar mutuamente nas nossas lutas.

Consideramos fundamental na nossa luta anticolonial tornar visíveis as histórias dos povos colonizados, onde existe um reflexo do passado colonial da sociedade alemã e europeia. Por esta razão, no início de 2020 organizamos, juntamente com outros coletivos de migrantes e um grupo de estudantes, um «Dia Decolonial» para estudantes secundaristas em Berlim. Utilizando ferramentas de debate e linguagens artísticas como o teatro, esses dias foram um espaço de reflexão e questionamento crítico das estruturas coloniais passadas e presentes, tanto nas suas formas diretas de violência, quanto nas suas formas mais indiretas de colonização do pensamento e dos modos de vida. Esperamos que este tenha sido o início de mais iniciativas conjuntas e que seja possível expandir a visão anticolonial através do trabalho conjunto com grupos de migrantes de diferentes partes do mundo.